Abril Azul: A conscientização pela inclusão das crianças e estudantes com Transtorno do Espectro do Autismo

  • 23/04/2021

O mês de abril é marcado por ações de conscientização pela inclusão social das pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo - TEA, que é um distúrbio do neurodesenvolvimento o qual causa prejuízos nas habilidades de comunicação, comportamento e interação social. Segundo dados do Canal Autismo (https://www.canalautismo.com.br), há aproximadamente 2 milhões de pessoas com TEA em nosso país e estima-se que no mundo 1% da população seja autista. O direito de inclusão das crianças e jovens com autismo se constituiu por meio de lutas por mais visibilidade dessas pessoas.

O Sistema Municipal da Educação de Lages possui o Atendimento Educacional Especializado (AEE), que tem como objetivo atender e acompanhar as crianças e estudantes público alvo da Educação Especial. O AEE oferece atendimento individualizado no contraturno nas salas de recursos multifuncionais disponíveis em 17 polos, organizados nas unidades de ensino municipais. E também, o acompanhamento a essas crianças e estudantes nas atividades pedagógicas nos espaços educativos, bem como, orientação aos professores regentes e de apoio à inclusão.

Em 2021, a Educação Especial atende cerca de 358 crianças e estudantes matriculadas nas unidades de ensino do município de Lages. Dessas, aproximadamente 164 são diagnosticadas com TEA. Assim, a garantia da inclusão também acontece por meio da promoção de uma comunicação eficaz e acolhedora entre professores, crianças e estudantes. Nesse sentido, a Secretaria Municipal da Educação de Lages realizou a distribuição de máscaras especiais que permitem maior interação em sala, com o intuito de garantir o processo de ensino e aprendizagem.

O processo de inclusão das crianças e estudantes da Educação Especial é um compromisso assumido pela Prefeitura de Lages por meio da Secretaria Municipal da Educação visando oportunizar espaços acolhedores e profissionais capacitados para o atendimento. Neste contexto, todas as crianças e estudantes têm a oportunidade de conviver com as diferenças, contribuindo para uma sociedade mais inclusiva a qual respeita os indivíduos em suas singularidades.

Texto e fotos: Gustavo Cezar Waltrick